JAX-RS com Java

Você acha verboso e chato? Acha que perde tempo escrevendo código repetivo? Especificações relativamente novas, como JSR 311 e JSR 317, provam o contrário.


Com o foco em POJOs, a programação fica bem mais simples e divertida com essas especificações. No caso da JSR- 311 (JAX RS – API para criação de WEB Services RESTful) é impressionante a facilidade de criação e disponibilização de WEB Services seguindo o modelo arquitetural REST.

Hoje terminei a primeira parte do livro RESTful Java with JAX-RS. O livro cobre toda a especificação, dá uma passada nas três maiores implementações(JBoss RESTEasy, Jersey e Apache CXF) e depois nos preenche com diversos exemplos usando JBoss RESTEasy, a impĺementação que o autor, Bill Burke, lidera.

A primeira parte consiste em apresentar toda a especificação, ou boa parte dela, com exemplos práticos. A melhor parte é que não fazendo “@PATH” e “@GET”, como pensei que seria, por outro lado. Acabei por fazer na prática coisas que eu só tinha lido antes, como escrever meus próprios MessageBodyReaders e MessageBodyWriters.

. Por estar bastante envolvido com RESTEasy, o autor fala com uma simplicidade de pontos que poderiam ser chatos em outras abordagem, como a possibilidade de estender a API para outros métodos além dos básicos que o HTTP oferece (GET, POST, PUT, DELETE, HEAD, TRACE). Bill também aproveita para criticar pontos da atual especificação, como a ausência da especificação para clientes REST.

A parte sobre HATEOS ficou clara e motivadora. Quando achamos que a primeira solução que o autor passa é suficiente (<link rel=”next” href=”…” />), ele mostra problemas dessa forma de fazer a linkagem de recursos e fala sobre linkar recursos usando o cabeçalho da request HTTP. (li algo sobre isso nesse post ontem).

Falando em cliente aí vem uma crítica minha para o livro. Senti que poderíamos explorar mais a parte de cliente do CXF e o do Jersey.(aproveitem e vejam esse artigo mostrando o RESTEasy cliente em ação)  Para o RESTEasy isso foi bastante explorado. É possível sair com um conhecimento bom de RESTEasy se seguida a segunda parte do livro, que só contém exemplos. Também não gostei do excesso de “Isso foge do escopo desse livro” e “Como isso é semelhante ao que foi falado para X, não irei abordar”, enche o saco as vezes (mas gosto é gosto).

A segunda parte, ao lado da forma que o autor mantém as coisas simples, com certeza é o maior diferencial do livro. Não pense que você vai ver exemplos chatos que parecem só tem enrolar, os exemplos estão todos com testes e sempre adicionam algo a mais do que o autor citou no capítulo que o exemplo é relacionado. Também achei interessante o uso de Maven e a explicação feita sobre como usar. No geral quando leio, enchem de linguiça e dá raiva depois usar.

Enfim, recomendo o livro! E se não aprenderem a fazer RESTful WEB Services usando Java depois desse livro, que atualmente só tem em inglês,  nunca mais votem em mim!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: